domingo, 15 de março de 2009

Poeta Trovador


Algo nele clama por saber,

Versos ecoam na sua mente

Sedenta de poder,

Controlam-no inexplicavelmente

Sem pudor, sem querer

Ele morre, aos poucos, ardentemente.


A sua jornada, do poeta trovador,

Começa no desconhecido,

Nos confins do mundo,

Veleja pela terra sem ter partido

Sem ter ainda embatido no fundo.


Um poço escuro, vazio,

Abraça-o com mil braços,

Torna-o subtil e veemente sombrio,

Indistinto fica a seu traço

Sob o nevoeiro frio.


À mercê dos gigantes que o envolvem

Tenta subir o degrau,

Elevar a sua vida e sonhar,

Escrever palavras belas no olhar,

Conseguir, através dos olhos falar.


A luz jaz no fundo,

Habita o mais recôndito recanto,

Escuridão que no seu pranto,

Cresce da superfície para o ser profundo.


Põe os teus braços à sua volta

Salva-me! Diz ele,

Acabai com a sua revolta

Deixai a paz habitar nele.


Ele clama, o poeta trovador,

Partículas ardentes de matéria

Inundai o seu coração,

Acabai com a sua dor

Renovai o oxigénio na sua artéria

Encarai o sonho com ardor.


O sonho do poeta trovador...


Pintura: Karoly Kisfaludy

5 comentários:

Xuxy disse...

Está muito bonito =o)

Obrigado pela visita =o)

Avassaladora disse...

O amor inspira coisas lindas!
O exemplo está aí...
Pela sua idade, me encanta, como já esta fazendo poemas maravilhos...
Quanta sensibilidade!
Parabéns!


Beijos e carinhos
Uma linda semana pra ti!

Daniel Silva disse...

"Ele morre, aos poucos, ardentemente.
(...)
Um poço escuro, vazio,
Abraça-o com mil braços,
Torna-o subtil e veemente sombrio,
Indistinto fica a seu traço
Sob o nevoeiro frio.

À mercê dos gigantes que o envolvem
Tenta subir o degrau,
(...)
A luz jaz no fundo,
Habita o mais recôndito recanto,
(...)
Põe os teus braços à sua volta
Salva-me! Diz ele,
Acabai com a sua revolta
Deixai a paz habitar nele.

Ele clama, o poeta trovador,
(...)
Inundai o seu coração,
Acabai com a sua dor
(...)
Encarai o sonho com ardor.


O sonho do poeta trovador..."


Um grande grande abraço... como quem te felicita e se permite retirar o que achou de mais sublime...

Hugo de Oliveira disse...

Bonito de se ler... parabens!

;)

OnlyMe disse...

Belas palavras. Gostei muito de te ler.
Ainda não tinha tido oportunidade de te visitar e comentar, mas não quis deixar de o fazer, porque escreves muito bem.
Obrigada pelas visitas ao meu cantinho.
Voltarei. ;)

Jinhos :)