terça-feira, 15 de setembro de 2009

...mudei

Meses de dor, meses de sofrimento.


Cresci
(num rodopio de amor e desespero)

Sou uma pessoa nova
num invólucro desfigurado

Com vergonha do que foi
Com vergonha do que causou


Mudei.

7 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Não importa o invólucro, Bruce, nem tens de ter vergonha pelo que foste ou fizeste, e sabes porquê? Porque o importante é que MUDASTE!

Parabéns pelo teu novo ser, porque inteligencia de vida é actualizarmos sempre as nossas decisoes e revermos as nossas atitudes. E isso, Bruce, tu fizeste-o.

Agora que mudaste, pinta com cores de vida nova o quadro cinzento e triste que dizes ter sido tu.

Grande abraço, amigo

Yiskay disse...

nunca tenhas vergonha do que és!

TERESA SANTOS disse...

Mudas-te, Amigo?

Óptimo! o caminho é feito de mudanças. Ai daquele que permanece imutável.

Muda mas, na essência, nunca deixes de ser quem és. Lima arestas, aperfeiçoa o que entenderes ficar melhor mas, NA ESSÊNCIA nunca mudes.

Como diz o Daniel, o invólucro não interessa.

Abraço.

Austeriana disse...

Bruce,
Antes de começar a escrever, li os comentários anteriores e
subscrevo-os. A prova de que o «invólucro» é um detalhe está neste blogue. Dito de outro modo, nunca te vi (acho eu) e quer-me parecer que muitos dos seguidores deste espaço não te conhecem. E, no entanto, aqui estamos a valorizar esta "microcosmo" que, do meu ponto de vista, acaba por ser uma projecção das tuas preocupações, interesses, alegrias... No fundo, este lugar é uma identidade.
Um abraço e fica bem!
P.S. Já agora, aproveito para te dizer que considero que este blogue é «mágico»: Vais ser premiado... :)))

Bruce disse...

A vida é feita de mudanças não é?

Os sonhos mantêm-se, mas os seus contornos alteram-se, independentemente de um invólucro estar ou não vazio...

O problemático é quando se pára sem se conseguir sorrir, nem que seja sorrir de dor, que, ainda assim, não deixa de ser um sorriso.

As mudanças são sempre boas, é sinal que crescemos, pelo menos eu sinto que cresci... é preciso aprender com os erros, que todos eles trazem consequências, independentemente de serem mais tarde alienados.

Como costumo dizer: C'est la vie!

Não deixa de ser bela por ter dias de escuridão!

João disse...

Mais forte que ontem e mais fraco que o amanhã...o que importa é que evoluimos e crescemos com os erros...o que nos torna mais fortes.

Obrigado pela visita.
Voltarei...

C. disse...

Somos "vários", várias "coisas", com vários "tons", ao longo do tempo que nos cabe. E podemos sempre viver "várias vidas" numa só. Renegar qualquer um desses momentos em que fomos, seria renegar-nos.
Não, não e não!

Beijinho e ... em frente, a fazer caminho.