terça-feira, 7 de abril de 2009

Plus Ultra


Olhando pela janela vem-me à cabeça um sentimento cinzento, talvez influenciado pela constipação que me entope as entranhas mas que não me entorpece os dedos, que com o balançar das folhas e dos ramos das árvores se torna demasiadamente preponderante para eu o deixar fugir levitando pelo algodão do céu até aos confins do imaginário.

Ah o imaginário... pedaço do mais belo cetim bordado pelo mais talentoso espírito, ou pântano desenhado pelo mais hediondo carrasco histórico?

É tão difícil definir o abstracto, aquilo que não existe, e contudo toda a gente tenta e procura fazê-lo, tal juiz julgando casos da alma...


É um sentimento ténue e fugidio, mas que principalmente nestes dias me visita; talvez um caminho paralelo ao vento, um padrão encontrado na terra por entre a folhagem me possa guiar, para estar diante de algo inócuo, tal como eu.

Talvez o vácuo seja demasiado torpe para mim, ou eu demasiado torpe para o vácuo; o certo é que me mantenho num pedestal que não me pertence, rodeado de flores e nuvens de algodão, doces e rosadas...

15 comentários:

Lobinho disse...

*Talvez o vácuo seja demasiado torpe para mim,

*o certo é que me mantenho num pedestal que não me pertence, rodeado de flores e nuvens de algodão, doces e rosadas...

Não agradeças o prémio. Mereceste-lo. E que os fonemas líricos suavizem tua alma, qual prisão poetica onde dizes que gostarias de habitar...

Abraço

Paulo - Intemporal disse...

______________________________ e

porque o tempo é de reflexão

____________ faço uma p.a.u.s.a.

no efémero dos dias [...]

e deposito aqui votos de uma Páscoa feliz e amplamente renovada.

____________ um a.b.r.a.ç.o.

e tão breve serei outra vez presença, com amizade e devoção

[...]

______________________________ .

OnlyMe disse...

E sem saber, ambos queremos conhecer definições para as quais, talvez, não existam respostas...

Dos meandros disso tudo
nasce apenas um desejo:
distinguir o que não vejo
e é talvez o conteúdo
deste infinito bocejo

a caminho não sei de onde,
à espera não sei de quê.
Quem me ouve? Quem me vê?
A vida não me responde
e afinal ninguém me lê.


Jinhos :)

Lis disse...

Olá Bruce! A música que você colocou de fundo é muito bonita!! Quanto ao seu comentário, também sou muito impulsiva. Quando somos tocados por emoções muito fortes é difícil não agir de maneira impulsiva, isso é normal do ser humano, mas tente fazer isso. Quanto se sentir triste, com raiva ou com qualquer outro sentimento que não te agrade, feche seus olhos, procure imaginar que todas as suas emoções estão naquele lago e procure acalmá-lo. Ajuda muito! Comigo sempre funcionou. Abraços!!

Cotovia disse...

...texto muito interessante e bastante reflectido.


Boa Páscoa e obrigada pela visita.

Xuxy disse...

uhhh o imaginário... excelente para fugir à realidade... Mas também acaba por ser um pouco perigoso. Quando voltamos desse mundo maravilhoso, a realidade parece sempre como sendo pior do que parecia antes!

bjs

Maripa disse...

Belo texto, música calma com uma sonoridade muito bonita que ajuda a pensar nas suas palavras.

Desejo que os seus pensamentos já não sejam tão cinzentos,que esteja melhor.

Bem-haja pela visita e palavras gentis que deixou no "meu mar".

Beijinho,Bruce.

Boa Páscoa.

Robin K disse...

Por vezes, nesse vácuo encontra-se um conforto estranho. Depois torna-se complicado sair dele.

Obrigado pelas palavras amigas.

Robin K

Valter Montani disse...

Amigo Bruce,

Passei para agradecer por suas visitas e comentários. Aproveito para desejar à você e família

Feliz Páscoa, saudações!

belas palavras, belo fundo musical, bela imagem, obrigado por compartilhar.

The White Scratcher disse...

O indefinido e o abstracto deixam-nos descansar um pouco a alma. A definição vem com o tempo e com a segurança. Todos temos momentos destes. O vive-los faz parte do crescimento pessoal. Algumas pessoas nunca chegam a isto.
Sempre em frente, sempre.

Abraço

Paulo - Intemporal disse...

__________________________________

vinte e cinco de abril de dois mil e nove
__________________________________

e porque são sei dizer melhor e se soubesse não saberia dizer assim, digo que,

"Há uma Justiça para ricos e outra para pobres, uma Justiça para famosos e outra para anónimos, como há Saúde e Educação diferentes para ricos e pobres. Cumprir Abril é uma questão de justiça. Já não podemos esperar mais 35 anos".

Paulo Baldaia

______________ para reflexão [...]

Porcelain Doll disse...

As mais belas e magníficas coisas deste mundo podem ser também as mais perversas... que triste e cinzenta seria a vida sem a imaginação... pararíamos! No entanto, essa que nos liberta pode também converter-se numa prisão que limita ou impede a experiência da vida...

Magnífica reflexão. :-)

Bj

Paulo - Intemporal disse...

Maio, o primeiro dia, o dia um, um dia, este.

Celebra-SE aquele que tem algo a fazer, ou que há tanto faz [...]

Maio também de Maria, de re.conciliação.

Maio de colher, a semente.

íssimo _______________________________ .

Paulo - Intemporal disse...

F
e
l
i
z

d_____i_____a

d
a

M__________Ã__________E

hoje e sempre.

íssimo.

Luís Porto disse...

Imaginário não é cetim borado nem pântano, és tu.
É o que vives, o que sentes, o que axas. O que pensas. :)

E e definires o abstracto, ele deixa de ser abtracto 8)

Opiniões ;)
Bom post